W Notícias

Ergonomia: 10 cuidados à tomar em casa

Você tem uma boa postura? Como se posiciona quando está sentado no sofá ou na estação de trabalho? 

São questões como essas que a ergonomia se preocupa, sendo o estudo da relação entre o homem e a força exercida para a realização do seu trabalho, seja física, mental ou sentimental. 

Também está ligada à prevenção de doenças que podem surgir por motivos de desequilíbrio e tensão emocional. 

Muitas empresas têm investido no bem-estar de seus colaboradores e notam diferença não só na eficiência, mas no nível das relações entre eles. 

É muito importante que os funcionários se sintam parte de uma grande equipe e que o relacionamento entre eles seja ético e profissional. A ergonomia contribui para pontos como esses sejam revertidos em mais qualidade de vida. 

Quais são os tipos de ergonomia? 

A ergonomia pode ser exercida em diferentes ramos de atividades, abrangendo questões ambientais, físicas, cognitivas, de aspectos sociais, organizacionais, relações pessoais e profissionais, além de outros. 

Confira algumas funções dos principais tipos de ergonomia:

  1. Física –  faz o estudo da anatomia humana e suas características antropométricas, fisiológicas e biomecânicas para a realização de atividades físicas, definição de melhores posturas, necessidades especiais.  A partir dela é feito o design de produtos para tratar ou prevenir doenças, como síndrome do túnel do carpo e desvios na coluna.
  2. Cognitiva – focada em processos mentais e como afetam o relacionamento entre indivíduos e outros elementos do sistema. Estuda percepção, memória, raciocínio, velocidade de resposta a estímulos externos, tomada de decisão, estresse, pressão e habilidades mentais, entre outros.
  3. Organizacional – Busca otimizar sistemas relacionados às políticas do negócio para melhorias no sistema de comunicação e promoção do trabalho em equipe e muito mais.
  4. Ambiental – faz a ligação das relações humanas com o espaço físico,verificando condições climáticas, de temperatura, pressão, nível de luz e sons, além de outras. Define a configuração espacial mais adequada para um ambiente agradável.
  5. Corretiva – verifica se os espaços de trabalho contam com medidas protetivas para garantir a integridade física e mental das equipes, oferecendo formas de melhoria. 
  6. Preventiva – trabalha com a conscientização dos trabalhadores sobre a segurança nos espaços de trabalho e a importância da saúde física e mental, destacando a importância de espaços que permitam reduzir ao máximo a fadiga muscular.

Benefícios da ergonomia para a saúde 

Os benefícios ergométricos vão além das relações estabelecidas entre os profissionais. Algumas práticas podem, inclusive, amenizar consideravelmente ou até mesmo erradicar aquela dor nas costas por ficar o dia todo sentado, ou aquelas dores nas pernas por passar o dia todo em pé. 

homem sentado, com mal jeito pescoço.
Fonte: Freepik

Os estudos ergonômicos propiciam ou acarretam mudanças muitas vezes drásticas nas empresas, como a utilização de: 

  • Cadeiras com assentos ajustáveis –  para melhorar a postura, evitando problemas na coluna; 
  • Monitores e telas na altura certa – ajustados para cada funcionário, estando sempre na altura da cabeça, para evitar eventuais dores e problemas nas articulações do pescoço; 
  • Abafadores de ruído – para funcionários que trabalham em condições de extremo ruído, como patrolas, escavadeiras, lixadeiras e outros instrumentos que geram barulho alto, podendo danificar o aparelho auditivo do trabalhador; 
  • Máscaras de proteção – recomendado para quem instala produtos tóxicos, evitando qualquer tipo de inalação. 

Riscos ergonômicos de doenças 

Podem ser de cunho psicológico e físico, além de causar grande risco à saúde, comprometendo seriamente o desempenho profissional. 

Entre as doenças que podem acometer o trabalhador em um ambiente ruim, do ponto de vista físico e mental, estão: 

  • Cansaço físico crônico; 
  • Gastrite; 
  • Disfunção no aparelho digestivo; 
  • Alteração no sono; 
  • Dores musculares; 
  • Diabetes; 
  • Hipertensão; 
  • Taquicardia; 
  • Ansiedade; 
  • Problemas nas articulações; 
  • Tensão, entre outros.

Problemas gerados pela falta de ergonomia em casa 

Muitas vezes, os problemas são gerados por atividades executadas de maneira errada, como a falta de postura ou a realização do exercício de maneira inadequada. 

O principal problema é a dor nas costas acompanhada de problemas de coluna. Segundo estudo da Sociedade Brasileira de Reumatologia, entre 60% e 85% da população desenvolve dores nas costas em alguma fase da vida. Boa parte delas é devido à má postura, entre outros fatores. 

Tratamento de doenças ergonômicas 

Há casos crônicos em que o tratamento de doenças ergonômicas depende de auxílio médico. Devemos primeiramente mudar o nosso comportamento. Comece corrigindo sua postura enquanto está sentado. 

Agora, por exemplo, você está bem ereto enquanto lê este artigo?.Vá além,, habitue-se a corrigir a postura constantemente. 

No seu trabalho, busque uma maneira de tornar a atividade exercida mais confortável, seja fisicamente ou mentalmente, além de mais prática. 

No caso de doenças do segmento LER (lesões por esforços repetitivos) ou DORT (distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho), o tratamento deve começar o quanto antes, para a obtenção de um melhor resultado. 

Para distúrbios psicológicos, recomenda-se o acompanhamento de um profissional especializado. 

Como prevenir problemas ergonômicos 

A prevenção de problemas ergonômicos relacionados às características físicas é mais fácil e simples. Dores nas costas podem ser diminuídas ou completamente erradicadas com alongamentos periódicos e pausas. 

Da mesma maneira, dores na região do pescoço podem ser facilmente evitadas corrigindo ferramentas e/ou instrumentos de trabalho, como monitores, mantendo a cabeça sempre em um ângulo reto. 

Dores nos braços e nas pernas na maioria das vezes são prevenidas com alongamentos e exercícios, ainda sendo empregadas pausas e uma correta execução da função desempenhada, ou seja, mantê-los em um ângulo preferencial próximo de 90 graus. 

Já quando nos referimos a problemas psicológicos, nem sempre os problemas são perceptíveis. Na maioria dos casos, os acometidos preferem não falar nem compartilhar que estão passando por dificuldades por medo de serem julgados ou até demitidos. 

Sendo assim, a maioria dos casos psicológicos não são tratados, o que é muito grave, já que a situação tende a ficar cada vez mais difícil. 

Como ter uma boa ergonomia em casa 

A maior parte do tempo passamos em casa, inclusive muitos trabalham em home office ou de forma híbrida. Portanto, os cuidados devem ser constantes, para contribuir com a nossa saúde de uma maneira mais eficaz. 

10 cuidados para uma boa ergonomia em casa 

  1. Tome cuidado para não deixar objetos de uso frequente em um local que você precise se esticar muito para alcançar; 
  2. Da mesma maneira, não coloque os utensílio e objetos em locais que você precise ficar abaixado ou em posição desconfortável para utilizá-los; 
  3. Procure uma posição confortável e correta para quando você ficar sentado por um longo tempo; 
  4. Pequenos gastos podem trazer um ótimo custo/benefício para sua saúde, como investir em uma poltrona ou cadeira confortável; 
  5. Utilize também um apoio para os cotovelos; 
  6. Quando for realizar alguma atividade, tome cuidado com a postura e a posição em que você ficará; 
  7. Para garantir a saúde psicológico, tente ficar em um ambiente silencioso e ventilado; 
  8. Ambientes luminosos tendem a trazer um estado mental de conforto; 
  9. Faça alongamentos periodicamente; 
  10. Realize pausas no serviço, o máximo possível. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.