W Notícias

Foi preso durante jogo do Inter gerente do tráfico da Vila Cruzeiro

Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP

Nesta quinta-feira, 23, o Internacional jogava nas oitavas de final da Copa do Brasil, quando um dos torcedores do time foi detido no estádio. Alisson William dos Santos Ramos de 21 anos, foi detido por ter a prisão preventiva decretada por crime de homicídio.

Alisson foi capturado por policiais no estádio da Beira-Rio enquanto o jogo estava no segundo tempo. O foragido foi reconhecido pelo posto da 20ª Delegacia que fica localizado no estádio, onde foi detido na arquibancada. Não houve tumulto no local e o infrator não resistiu à prisão.

Os investigadores ainda suspeitam que o preso fosse o gerente do tráfico na Vila Cruzeiro, de facção rival ao comandante do bairro Bom Jesus. Alisson teria assumido este ano o posto de gerência na Zona Sul da capital, Vila Resvalo. Segundo investigações, ele está envolvido em três crimes de assassinato, sendo dois deles em fevereiro deste ano e outro em março.

Há indícios de que Alisson teria envolvimento com um crime que repercutiu no ano de 2016, na morte de um policial militar. No ano do acontecimento, o policial de 29 anos, Luiz Carlos Gomes da Silva, havia abordado um carro suspeito de roubo, o veículo era um Gol, que circulava pelo bairro Cavalhada.

O policial havia discutido com um dos suspeitos que estavam no carro e deu um tiro na perna de outro que saiu do veículo abordado. Em pouco tempo, o suspeito ferido se dirigiu até a porta do carona do Gol e pegou uma arma que usou para atirar no policial. Haviam sido acertados três tiros no PM, que apesar de ter sido levado ao hospital, não resistiu no atendimento.

De acordo com Elisa Souza, delegada, as investigações indicam que Alisson está envolvido nesse crime, no entanto, não é o autor dos disparos contra o PM. Ela disse que o preso não está envolvido apenas em homicídios, mas também em porte ilegal de armas e tráfico de drogas.

No dia 24 de maio, última sexta-feira, Alisson fez seu depoimento, mas não acrescentou informação alguma sobre os dois homicídios. Para o advogado do indiciado, ele está sendo acusado injustamente e perseguido por policiais desde o caso de homicídio do Policial Militar.

O advogado, João Antônio Abdala, disse que as mortes aconteceram próximas a região que Alisson mora são direcionadas a ele. Ainda mencionou que ao saber o que houve durante o jogo, garantiu que ira defender seu cliente dentro das medidas cabíveis.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.