W Notícias

Estão presos os criminosos do caso Paola Corrêa em Porto Alegre

Foto: Reprodução redes sociais

Paola Avaly Corrêa de 18 anos foi executada no dia 13 de maio de 2018na Vila Tamanca que fica localizada no bairro Agronomia em Porto Alegre. Os réus do caso continuam presos.

A jovem foi executada com dois tiros na cabeça, encontrada com as mãos e pernas amarradas, em uma cova perto do matagal na Vila Tamanca. O crime foi registrado em imagens e circulou nas redes sociais, o que acabou ajudando a investigação da polícia.

Foram indiciados pela morte da jovem seis pessoas: Bruno Cardoso Oliveira 24 anos, Vinicius Matheus Silva 22, Thais Cristina dos Santos 21, Nathan Sirângelo 24, Cleomir Rodrigues da Silva 35 e um menor de idade que está retido na Fase (Fundação Casa de Assistência Socioeducativa). O processo está na 2ª Vara do Júri na Capital e segue em fase de instrução.

A chocante morte da jovem teve sua história escrita a partir de 2017, quando Paola, com apenas 17 anos, se aproximou pelas redes sociais de um presidiário condenado a pena por tráfico de drogas, Sirângelo. Paola conseguiu autorização para fazer visitas a ele no Presídio Central da Capital. Durante as investigações apareceram indícios de que o relacionamento dos dois era bastante tumultuado.

A família da jovem informou que antes de conhecer Sirângelo, Paola tinha uma vida tranquila e agia normalmente como uma adolescente de sua idade, como ir ao shopping, ser vaidosa e outros. Ela era a mais nova entre os irmãos.  No entanto, após conhecer o rapaz, ela começou a se “envolver com pessoas erradas” e não escutava mais sua família.

Quando completou 18 anos, Paola largou os estudos, o emprego e disse à família que estava saindo de casa para morar com suas amigas. Quando na verdade, foi morar com familiares de Sirângelo e pouco depois se mudou para uma casa paga por uma facção do bairro Bom Jesus, para qual a jovem teria entrado.

Em maio de 2018, o relacionamento da jovem com Sirângelo estava em crise, eles já tinham uma relação tumultuada, foi o momento em que a jovem decidiu que estava na hora de colocar ponto final no mesmo. Através das redes sociais, mais uma vez, a polícia conseguiu mais provas para sua investigação.

Numa quarta feira, 9 de maio 2018, a jovem foi visitar seu namorado para terminar o relacionamento, e assim como havia decidido, o fez. Após dois dias do acontecido, ela e seu ex-namorado discutiram por telefone.

No domingo de Dia das mães, Paola fez uma postagem em suas redes sociais insinuando que estava com outra pessoa. Foi então que Sirângelo ordenou que a jovem fosse executada. Ele pediu para que seus comparsas Carlos e Vinicius levassem Paola ao matagal da Vila Tamanca, onde Merló e Thais estariam esperando com uma cova aberta.

A jovem implorou a Sirângelo por telefone que poupasse sua vida, mas ele negou o pedido e disse o que deveria ser feito. Na tarde daquele mesmo dia, às 17:30 horas, Paola foi executada com dois tiros na cabeça. O corpo da jovem foi encontrado no dia 17, depois da circulação do vídeo da morte nas redes sociais.

A polícia seguiu as pistas e chegou ao nome Oliveira, um presidiário que estava detido no mesmo local que Sirângelo. A delegada mencionou que o ex-namorado teria pedido autorização à facção para realização da execução.

Todos os envolvidos estão presos e respondendo ao crime de homicídio triplamente qualificado, envolvendo, feminicídio por crueldade e motivo torpe que dificulta a defesa, além de sequestro mais organização criminosa.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.